Informações de contato

Rua Osvaldo Cruz, 342 – Soledade, 50050-225 – Recife/PE

Telefone:

Novos estudos indicam que, tirando idosos e imunossuprimidos, a proteção é robusta para enfrentar a Ômicron e outras variantes a médio e até longo prazo. Três doses de uma vacina Covid – ou mesmo apenas duas – são suficientes para proteger a maioria das pessoas de doenças graves e morte por um longo tempo, sugerem os estudos.

Embora as pessoas com mais de 65 anos ou com alto risco de doença possam se beneficiar de uma quarta dose de vacina, esse reforço pode ser desnecessário para a maioria das pessoas, disse John Wherry, diretor do Instituto de Imunologia da Universidade da Pensilvânia.

A variante Ômicron consegue driblar anticorpos produzidos após duas doses de uma vacina contra a Covid. Mas uma terceira dose das vacinas de mRNA feitas pela Pfizer-BioNTech ou pela Moderna leva o corpo a produzir uma variedade muito maior de anticorpos, o que seria difícil para qualquer variante do vírus escapar, de acordo com o estudo mais recente, publicado online na terça-feira.

Desta forma, o repertório diversificado de anticorpos produzidos deve ser capaz de proteger as pessoas de novas variantes, mesmo aquelas que diferem significativamente da versão original do vírus, sugere o estudo.

Leia o texto completo aqui.

Foto: Freepik

Share:

administrator

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.