Outras Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST)

O QUE SÃO IST?

As Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) são causadas por vírus, bactérias ou outros microrganismos.

COMO EVITAR AS INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS?

A camisinha (masculina ou feminina) é o método mais eficaz para evitar as IST e deve ser usada em todas as relações sexuais.

IST É A MESMA COISA QUE DST?

A terminologia Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) passa a ser adotada em substituição à expressão Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST), porque destaca a possibilidade de uma pessoa ter e transmitir uma infecção, mesmo sem sinais e sintomas.

QUAIS SÃO OS SINTOMAS DAS IST?

Como existem diferentes IST, também são diferentes os sintomas e as formas como se manifestam em cada pessoa. Em geral, os sintomas mais comuns aparecem no órgão genital, na boca ou ânus (heridas, verrugas, secreções), mas também podem surgir em outros lugares do corpo, como na mão, língua e olhos.

COMO AS IST SÃO TRANSMITIDAS?

As IST são transmitidas, principalmente, por meio do contato sexual (oral, vaginal, anal) sem o uso de camisinha, com uma pessoa infectada. A transmissão também pode acontecer da mãe para a criança durante a gestação, o parto ou a amamentação.

COMO SABER SE TENHO IST?

Consultando-se com um médico, que pedirá exames específicos para confirmar ou descartar se o paciente tem alguma IST.

ESTOU INFECTADO: O QUE FAZER?

Após a confirmação do diagnóstico, o tratamento deve ser iniciado o mais rápido possível. Cada infecção possui uma série de cuidados, que devem ser seguidos à risca pelos pacientes. É preciso tomar a medicação na hora correta, usar camisinha nas relações sexuais e até mesmo levar o parceiro(a) ao serviço de saúde.

TEM TRATAMENTO PARA IST?

Sim, a maioria das IST tem tratamento (exceto o HIV/aids). A medicação correta melhora a qualidade de vida e interrompe a cadeia de transmissão. O atendimento e o tratamento são gratuitos nas clínicas da AHF (Wellness Center) e no SUS.

QUAIS SÃO AS PRINCIPAIS IST?

Cancro mole

Causado pela bactéria Haemophilus ducreyi é transmitida pela relação sexual e apresenta feridas múltiplas e dolorosas nos órgãos genitais. Em alguns casos, podem aparecer nódulos na virilha.

Tricomoníase

Infecção que, no caso das mulheres, ataca o colo do útero, a vagina e a uretra; e, nos homens, o pênis. É transmitida na relação sexual desprotegida. A maioria dos infectados não percebe os sintomas, que são dor durante a relação sexual, ardência e dificuldade para urinar, coceira nos órgãos sexuais.

Clamídia e Gonorreia

Infecções causadas por bactérias, a clamídia e a gonorreia atingem órgãos genitais – e também podem aparecer na garganta e nos olhos. Se não tratadas, podem causas infertilidade, dor durante as relações sexuais, gravidez nas trompas, entre outros danos à saúde.

Condiloma acuminado (HPV)

É uma IST causada pelo vírus HPV e que provoca verrugas nos órgãos genitais. Geralmente, as verrugas ficam agrupadas, parecidas com uma couve-flor. Existem mais de 200 tipos diferentes de HPV.

Doença Inflamatória Pélvica (DIP)

Considerada uma síndrome clínica, ocorre quando a gonorreia e a infecção por clamídia não são tratadas. A doença inflamatória pélvica provoca dor na parte baixa do abdômen e durante a relação sexual. Também podem aparecer dor abdominal e nas costas, além de febre, fadiga e vômitos.

Donovanose

É uma infecção bacteriana que afeta a pele e as mucosas dos órgão sexuais, causando úlceras. Como as feridas, em geral, não causam dor, a descoberta da infecção é mais demorada, o que pode aumentar riscos de complicações.

Hepatites virais

Causadas por vírus que atacam o fígado, as hepatites virais (hepatite A, B, C e Delta) podem ser transmitidas nas relações sexuais. Existem, porém, outras formas de contágio, como transfusão de sangue e compartilhamento de objetos cortantes contaminados, como alicates, tesouras e agulhas.

Herpes

É uma infecção viral que pode provocar bolhas na boca e na região genital, podendo se espalhar por outras partes do corpo. Sua transmissão pode ser por relação sexual ou pela saliva.

Infecção pelo Vírus T-linfotrópico humano (HTLV)

Infecção que atinge as células de defesa do organismo. Sua transmissão ocorre na relação sexual sem camisinha com uma pessoa infectada, no compartilhamentos de materiais cortantes (como alicates, tesouras e agulhas) ou da mãe para o recém-nascido. Em geral, as pessoas infectadas não apresentam sintomas, que podem se manifestar na forma de doenças neurológicas, oftalmológicas, dermatológicas, urológicas e hematológicas.

Linfogranuloma venéreo (LGV)

Infecção crônica que atinge os órgãos genitais e os gânglios da virilha. A transmissão ocorre pelo sexo desprotegido com uma pessoa infectada. Alguns dos sintomas são: feridas nos órgão genitais, dores nas articulações, febre e mal-estar. Em alguns casos, pode ocorrer elefantíase (acúmulo de linfa no pênis, escroto e vulva).

Sífilis

Infecção bacteriana transmitida sexualmente, por transfusão de sangue ou na hora do parto. Ela pode apresentar diversos sintomas em diferentes estágios:

> Sífilis primária – Ferida no local de entrada da bactéria (pênis, vulva, vagina, colo uterino, ânus, boca, ou outros locais da pele). No geral, não apresenta dor e nem coceira. Entretanto, essa fase é altamente contagiosa.

> Sífilis secundária – Os sintomas aparecem entre seis semanas e seis meses após o aparecimento e a cicatrização da ferida inicial. Podem surgir manchas no corpo, incluindo palmas das mãos e plantas dos pés, além de mal-estar, dor de cabeça, ínguas pelo corpo. A infecção nesta fase também é altamente contagiosa.

> Sífilis latente (fase assintomática) – É dividida em sífilis latente recente (menos de dois anos de infecção) e sífilis latente tardia (mais de dois anos de infecção). Não apresentam sintomas e somente podem ser diagnosticadas por testes de laboratório.

> Sífilis terciária – Pode surgir de dois a 40 anos depois do início da infecção. A pessoa costuma apresentar lesões cutâneas, ósseas, cardiovasculares e neurológicas. Em casos mais graves, pode levar à morte.


FAÇA O TESTE GRÁTIS HOJE

Com o teste rápido, você sabe o resultado em até 15 minutos