Informações de contato

Rua Osvaldo Cruz, 342 – Soledade, 50050-225 – Recife/PE

Telefone:

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta quinta-feira o uso emergencial, em caráter experimental, do remédio Evusheld, desenvolvido pela empresa farmacêutica AstraZeneca, contra a Covid-19. É o primeiro medicamento autorizado no Brasil com indicação profilática, ou seja, a ser usado para evitar a doença, antes da pessoa ser infectada pelo vírus. Por outro lado, há restrições e apenas algumas pessoas poderão fazer uso do remédio. Assim, o remédio não substitui a vacina para a maioria das pessoas. Ainda segundo a Anvisa, o remédio consegue neutralizar também a variante ômicron.

O Evusheld é indicado para as pessoas com o sistema imunológico comprometido de forma moderada ou grave, em razão de alguma doença ou tratamentos, nas quais as vacinas são menos efetivas. É o caso, por exemplo, de quem faz tratamento contra câncer, tenha passado por transplante de órgão, ou por infecção por HIV avançada ou não tratada. A diretora da Anvisa Meiruze de Sousa Freitas, relatora do processo de autorização do remédio, destacou que essas pessoas são as mais vulneráveis a desenvolver a doença.

O medicamento também é indicado a quem tem contraindicação às vacinas, caso dos alérgicos aos componentes dos imunizantes. Para fazer uso, também será necessário não ter tido uma exposição recente conhecida a outra pessoa infectada pelo vírus. Quem tiver menos de 40 quilos ou menos de 12 anos também não poderá usar o remédio, assim como pessoas que tomaram vacina contra a Covid-19 há menos de duas semanas.

— A vacinação é a melhor estratégia da profilaxia, mas é importante também colocar novos produtos à população, em especial aos profissionais de saúde que tanto batalham, e a todos os pacientes que não podem suar a vacina — disse a relatora.

Leia a matéria completa aqui.

Foto: Freepik

Share:

administrator

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.